Voltar

Mais segurança, mesmo sem você por perto

Mais segurança, mesmo sem você por perto.
Filmadoras têm sensor para captar imagem quando o veículo está estacionado e é atingido.
Se antes quem buscava filmadoras para seu veículo precisava recorrer a sites de importação, hoje já é possível encontrá-las em território nacional. E, apesar de ainda engatilharem no mercado, revendedores garantem que elas podem estar entre as principais tendências para o futuro.
Um exemplo de empresa que investe no setor é a chinesa Thinkware, que chegou no Brasil em março deste ano. O diretor de marketing da marca, Eduardo Han, explica que esse tipo de câmera já é muito comum em outros países, entre eles Coreia do Sul (onde já foram vencidos mais de um milhão de exemplares), Japão e Rússia.
O diretor aposta nas câmeras como mais um recurso para garantir segurança dos passageiros, já que além de imagens, elas são capazes de monitorar índices de tempo e de velocidade. As câmeras podem, inclusive, ser conectadas à bateria dos carros, sendo ligadas e desligadas junto aos veículos.
Outro recurso é o setor de impacto, que liga o aparelho no instante em que há alguma movimentação, como em casos de batida com o veículo estacionado.

Modelos podem ser Instalados dentro e fora do Carro

Entretenimento
Felipe Camilo, gerente de vendas da Dalgas, especializada em acessórios automotivos, enxerga no Brasil um grande potencial de comercialização das câmeras e arrisca, ainda, outro modo de utilização: o entretenimento, para registro de passeios e de trilhas. “Acreditamos que a câmera terá boa aceitação entre os clientes que fazem longas viagens e que que desejam melhorar as condições de segurança além de frotistas, que gostariam de avaliar o perfil de condução de seus motoristas”, fala.
Para o diretor da Universidade Automotiva, Amos Lee Harris Júnior, as câmeras também podem ajudar a moralizar o transito, uma vez que os próprios motoristas poderão auxiliar as autoridades a punir infratores usando as gravações.
Na opinião dele, elas também podem contribuir para esclarecer acidentes e assaltos. “É mais uma forma de se resguardar, principalmente nos dias de hoje, em que o trânsito está muito agressivo”, enfatiza ele.
(Maíra Mendonça).

Voltar